Seja você mesmo, independente do que aconteça…

Começo esse texto de uma maneira de desabafo, tem situações em nossas vidas que vivemos que nos trazem tantas lições que é interessante colocarmos para fora isso, como um meio também alivio dentro do peito.

Com tanta velocidade no mundo, tanta correria do dia-a-dia, que não temos mais nem tempo de pensar sobre determinadas assuntos. É uma era tão imediatista que não dá nem mais tempo ao tempo. E aí é quando os pensamentos vêm, são tantos pensamentos que não sabemos por onde começar.

Então, já que não sei por onde começar, como pelo meio da história…

Certa vez, me aconteceu uma certa ocasião que me gerou um desconforto tão grande que tive que ficar praticamente um dia todo pensando, refletindo sobre esse fato que me aconteceu.

Como é difícil achar a sua identidade…

Existe uma multidão lá para lado de fora, gritando, desesperadamente por não saber quem é a si mesmo. E quem é você? Talvez dentro de nós nos perguntamos quem nós somos? E mal sabemos responder essa pergunta, pensamos tanto, mas não temos tempo de pensarmos sobre nós mesmo, porque realmente é difícil, exige muito de si.

Uma vez, estava esperando uma pessoa para sair, e acabou que não deu certo. Aconteceram algumas coisas no meio desse caminho e não deu certo. Sem muitos detalhes sobre esse fato. Acho que tem coisas que é melhor pouparmos energias, porque não vale o nosso desgaste mental.

Pensei naquele momento “ainda bem que não deu certo”, tudo que começa de uma maneira pesada, e mal resolvida acaba dando algum ”B.O” no final da história. E assim começamos a sermos colecionadores de “traumas”.

Naquele instante pensei – o problema de nós seres humanos – que temos uma intensidade dentro nós, é que intensificamos tudo ao nosso redor, inclusive as tristezas, relacionamentos, tudo ao seu redor é intensificado.

De peito aberto queremos viver e não ligar para absolutamente nada. Sabe quando você só quer viver? No sentido de viver bons sentimentos, nada mais que isso, não é pedir muito né?

Pensei por um momento pelo fato de não ter dado certo esse encontro “será que eu fiz algo de errado”? O que tem de errado comigo?

como-se-achar-se-encontrar

São tantas emoções que acontece dentro de nós ao mesmo tempo, quantas vezes acabamos nos frustrando, nos machucamos e pensamos quem sou de verdade? Nos perdemos na maré de emoções, e como encontrar a sua verdadeira identidade no meio de uma multidão faminta por cliques?

Nesses momentos de frustações, expectativas não correspondida, é aí que mora o perigo, pois quantas vezes também acabamos trocando a nossa identidade por causa do outro? No que o mundo diz para nós que é o melhor?

Como é difícil acharmos a nossa identidade nesse mundo desesperado, e faminto…

E em mundo de redes sociais, como ser você mesmo?

E nesse momento que temos as redes sociais, como ser você mesmo? Tive muitos, muitos momentos da minha vida que eu queria me tornar alguém que simplesmente não era eu, porque achava que se tivesse uma personalidade parecida com de fulana iria ser mais amada, chamaria mais atenção…

Esse excesso de comparação é que nos aprisiona sabe? Você se comparar com o outro é uma forma de aprisionar você mesmo, e seus sentimentos dentro de si. É viver uma vida sufocada, apenas vivendo… uma vida que não é sua.

Quer saber de uma coisa? Mesmo que tenhamos que pagar um preço muito alto e árduo por querer ser nós mesmo, apenas seja. Não espere nada, apenas seja você mesmo de peito aberto, com toda a intensidade do mundo, e a vida se encaminhará de fazer o resto.

Todas as vezes que me pego pensando, me comparando, eu recuo faço uma reflexão profunda sobre quem eu sou e o que é meu? O que é do outro? O que é do outro você deixa, solta, porque se você não tem controle sobre seus sentimentos, que dirá na vida outro.

Em mundo onde acontece posts frequentemente sobre uma vida talvez ilusória, que não existe, é difícil termos essa autorreflexão de pensar “como eu vou ser eu mesmo? E o medo dos julgamentos? Das pedradas no caminho? Do preço que deverá ser pago?

É algo ato cansativo, porque a partir do momento que dentro de você está decidido “essa sou eu” se prepare para ser forte o suficiente de aceitar a sua verdadeira natureza, e quem gosta de verdade estará contigo, e respeitará seus sentimentos.

Quando vamos contra a nossa natureza, isso nos causa muito desconforto dentro de nós, nos causa angustia.

Seja você mesmo, e não deixe ninguém fique podando as folhas que você tem.

As pessoas querem nos podar o tempo todo…

O tempo todo a gente está exposto a essas “poda” o mundo sempre quer nos podar, nos moldar conforme a sociedade acha que é melhor para nós.

A não podemos amar tanto assim, pois as pessoas acham estranho. Tem que se controlar. A não pode ser tão falante assim, você nem conhece a pessoa direito, tem que ir com calma para não assustar.

Ah não pode isso, não pode aquilo, nada pode. Parece que você tem que viver pisando em ovos com essa nova geração, na verdade não digo nem geração, mas esse mundo novo mundo aonde não podemos ser nada, e não podemos dizer nada, acabamos sendo podados de sermos quem somos de verdade.

Nessa minha ocasião que eu tive, sabe quando você simplesmente quer se jogar e não pensar em nada? E o tempo todo as pessoas querem te podar em ser o que elas acham certo.

Quem te ama de verdade, quem gosta de você de verdade, quem quer você de verdade… Vai estar com você, vai te encontrar, vai viver com você da forma que você é, sem ficar podando toda hora…

Por que uma folhinha que você tirar da sua árvore vai fazer falta, vai modificar a sua personalidade. Então apenas SEJA VOCÊ MESMO. Se um dia não der aquilo que você criou expectativa, faça uma coisa? Durma com a paz no seu coração que você foi você o tempo todo.

A frustação quando você se abre e alguém não está pronto para te acolher…

Como citei lá em cima, o preço de ser você mesmo é um pouco alto, mas depois você simplesmente acostuma é uma aceitação de dentro para fora. Só que infelizmente nesse mundo latente de pessoas vazias, sim existe pessoas no qual você vai se abrir, se jogar de cabeça e bater a cabeça no chão.

E não tem como julgar, jogar pedra, falar se está certo ou errado. Cada um tem o seu momento de evolução, cada pessoa está na sua fase evolutiva. E quando você abre o seu coração para uma pessoa e parece que simplesmente ela não está nem aí para o que você senti, talvez definitivamente ela não esteja pronta para aceitar aquilo que você tem a oferecer.

Quando isso acontecer, pare, respire e durma novamente com a certeza no seu coração, que você deixou o melhor na vida aquela pessoa. 

Essas pessoas “rasas” que passam em nossas vidas são ótimas professoras, porque através dela conseguimos ter um parâmetro quão carente estamos? Não confiar e entregar tudo de uma vez para quem não conhece, tomar mais cuidado com nossos sentimentos, porque quem vai se decepcionar é quem deposita a confiança, a outra pessoa apenas vai viver a vida dela, como sempre viveu.

Como manter o equilíbrio entre seu eu e as suas carências… e vazios…

Todo nós temos carências, é inevitável. Por mais que não queremos assumir isso, mas sim nós temos. É normal! Todos temos carências, vazios, fantasmas, coisas que talvez não esteja resolvido aqui dentro de nós.

Temos que ter algo aqui dentro de nós, que nos impulse a buscar, a querer evoluir, amadurecer.

Tem um texto meu que eu escrevi a respeito dessa nossa questão de manter sempre de olho, em coisas que estão dentro de nós que está nos movendo a ter tais atitudes…

Então se mantenha o máximo que puder consciente das suas limitações, carências, vazios, medos. Claro que sempre não vai dar, mas tente ao máximo. Porque são esses momentos também que para poder manter coisas em nossas vidas, pessoas, nos modificamos para ter um alivio ou alguma fuga. E quando temos amor próprio não precisamos implorar para ninguém ficar, quem quer a sua presença – apenas ficar!

Independente do que aconteça seja você, mesmo que te machuquem, seja você. Mesmo que te julguem seja você, mesmo que muitas coisas você deixe no caminho. Apenas seja você!

E o seja você não é aquela pessoa que fala o que pensa e não está nem aí para o outro. O seja você que estou dizendo é – se tem sentimento dentro de você – sentimentos bons que vai fazer bem ao outro… Solte, libere, faça o bem sem olhar a quem… Tudo que a gente faz de bom, a vida também retribui da mesma forma.

Não deixe que o mundo tire de você a sua verdadeira essência.

Leia mais artigos...

Uma musiquinha para semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on pinterest
Share on linkedin
Mikaella Narriman

Mikaella Narriman

Esse blog é escrito com muito amor pela Mikaella Narriman, uma garota amante de escrita, e fascinada por Histórias - Colecionadora de Histórias de pessoas que conhece aleatóriamente por ai.
Ama escrever cartas para pessoas se sentirem especiais, espalhar amor e a sua flor favorita é Rosa branca.
Tem um amor verdadeiro desde pequenininha por praias e coleciona conchas. Sonha ainda velejar por mares abertos e é com certeza uma é geminiana!