o-que-aprender-de-2020

O que 2020 me ensinou a nos ensinou.

Os ensinamentos de 2020…

Sempre que me recordo do começo do ano, ou até mesmo a 1 ano atrás me passa literalmente um filme na minha cabeça.

Engraçado que esse título do texto parece aqueles bem clichês de “ensinamentos de 2020 por causa da pandemia” e todas aquelas frases de que a pandemia nos uniu, nos fez melhores, tivemos que nos reinventar, se adaptar as mudanças e blá blá blá.

Tudo bem jamais vou negligenciar isso, que todos esses pontos são muito importantes mesmo com toda certeza. Quem não passou por um processo de autoaprendizagem em 2020 por favor você precisa de uma Psicoterapia urgente rsrs.

Todo mundo teve seus momentos de altos e baixos nesse tão famoso 2020, o ano que o mundo parou, o ano das readaptações e coisas assim. Aquele ano que tivemos que pensar rápido para agir, mas também ao mesmo tempo com muita calma para não cair e se machucar.

Gostaria apenas de colocar algumas palavras para fora. Sempre quis que um dia chegasse esse momento e por coincidência da vida, uma coisa bem louca eu realmente tive um encontro comigo mesma justamente no ano da pandemia.

Tive tempo suficiente para respirar, até mesmo para criar novos hábitos que não tinha. Lógico que, esse processo foi construído, não foi porque chegou a pandemia e eu fiquei isolada com a minha família que eu me descobri, que eu amadureci, que tive que aprender bastante coisas.

Cheguei num processo de autoanálise, isso vem sido construído durante anos. Brinquei lá em cima sobre – se você não melhorou em 2020 por favor procure uma terapia, mas no sentido de realmente olhar mais para si e se conhecer profundamente, deixar algumas para trás e querer crescer de verdade.

O momento de introdução para o contexto se desmanchar…

A coisa mais impressionando, na verdade eu terei que separar até mesmo em parágrafos tudo que meu coração quer colocar para fora, muita das vezes fico tão ansiosa em querer me expressar que nem mesma as palavras eu consigo organizar.

Fica aquele um “bolo de emoções”. Só quem é intenso sabe do que estou falando, turbilhões de emoções dentro de si né, mas mesmo assim é preciso parar, pensar, respirar e deixar que as palavras venham e aos poucos as coisas se tornar simplesmente naturais e flui.

A coisa que eu mais queria na minha vida era simplesmente parar um dia e pensar e ter esse momento comigo mesma, claro que muitas coisas acontecem ao longo da sua caminhada né? Só é precisa andar, mas nunca tive tempo nem ao menos de respirar.

Parece que quando você simplesmente para vem à lembrança daquela pequena angústia que terá de encarar no outro dia, seja seu trabalho, ou algum relacionamento mal resolvido, coisas do tipo.

Não sei, sempre vivi numa sensação de que por onde passava minha vida se tornava meio que fragmentada, sempre deixava pedaços por aí mal resolvidos dentro de mim, por mais que falava para mim:

– Oi está tudo bem, segue em frente.

Era apenas mentiras era só para colecionar mais uma angústia dentro de mim das mentiras. A verdade é que eu era tão inconsciente que mentir para mim dizendo que estava tudo bem, que a minha vida estava em paz era uma rotina e se tornou um hábito.

Me sentia assim totalmente fragmentada, sentia que todos os pedaços em mim eram partes aleatórias da vida que fui pegando, e me construindo, sentia pegando pedações de outras pessoas e colava em mim.

Sempre sentia que faltava ar suficiente para caminhar, sentia sempre como uma bomba relógio prestes a explodir, era exatamente assim que me sentia fragmentada nunca estava inteira, sempre me faltava pedaços eu mesma optava em deixar por aí.

Mas a questão em si não é deixar pedaços por aí, tudo bem você querer deixar um pedacinho de você com alguém, ou em algum lugar isso é ótimo. A coisa mais bela é deixar o cheiro da sua essência nos lugares que passamos. Entretanto, era algo muito diferente de mim era como se eu deixasse pedaços que eu não podia deixar, eu tirava de mim, mas depois me faltava. Pensei de fato tem alguma coisa errada.

Até que finalmente 2020 chegou, o ano do imprevisível o que ninguém nunca cogitou, o ano de tirar algumas coisas da gaveta e colocar em prática.

Eu já estava planejando um tempo ter esse momento para mim, e eu digo no sentido de se conhecer profundamente e abnegar muitas coisas na minha vida que estavam me fazendo mal e me prejudicando, eu precisava urgentemente rever alguns “muitos” pontos na minha vida em todas as áreas.

Certamente o ano de 2020 me fez enxergar muitos pontos nas quais eu estava precisando e queria ter alcançado agora enquanto nova, era um desejo que eu tinha (ainda em processo, tem muito chão pela frente).

Mas dessa vez eu estava buscando um despertar diferente um despertar único que eu sentisse aqui de dentro.

O verdadeiro afeto, nunca tive consciência disso mas então que tive que descobrir…

Sempre tive isso dentro de mim toda a questão da humanização com relação ao outro, um dos meus maiores valores é o altruísmo, o altruísmo para mim sempre tem que estar no topo. Toda a questão da humanização eu levo muito a sério.

Nesse ano de 2020 que eu tive a chance de ter o trabalho em home office não apenas eu, mas muitassssssss pessoas, tive mais tempo de saber lidar melhor com o outro e entender melhor as suas emoções, as limitações que todos nós temos.

Comecei a entender os meus limites o que desperto no outro para deixá-lo alterado, até aonde eu posso ir no quesito sentimento de dedicação em prol do outro. 

Quando comecei a trabalhar muito isso nas terapias de se olhar, olhar para mim mesma me fez enxergar muitas coisas, me fez enxergar pontos de alertas que eu precisava recuar um pouco é uma questão de se resguardar.

É importante acima de tudo você se amar primeiro, não faz sentido também não se amar e dar tudo de você para o outro e você ficar vazio? E sempre é preciso dessa vigilância de amor por si mesmo, manter o equilíbrio entre amar o próximo e amar a si mesmo. E em 2020 tive tempo suficiente para enxergar esses pontos de melhorias e ter essa pausa para mim.

Com certeza 2020 nessa parada que tivemos nos fez enxergar o verdadeiro sentido do amor, o verdadeiro sentido da paz dentro de si mesmo, o autoconhecimento.

Olhar para o outro de uma maneira diferente que talvez nunca tinha olhado antes, em 6 meses desenvolvi tantas coisas que em alguns anos não havia nem sequer sonhado nessa jornada de autoconhecimento.

Se tornar uma pessoa melhor – Usar as diversidades da vida para evoluir.

Quando eu despertei aqui dentro muita coisa aqui fora melhorou, parece que o mundo começa a te olhar de uma forma diferente. E até novos arco-íris eu vi por aí, nem isso eu conseguia enxergar antigamente.

As pessoas sempre me falavam que ficava feliz pois as deixava feliz. Aui dentro sempre me faltava algo, sempre me faltava sabe? Nunca estava satisfeita com nada, me sentia literalmente como eu disse “fragmentada”(inclusive adorei essa palavra).

Um dos textos mais lindos que eu escrevi foi justamente esse em homenagem as minhas terapeutas, principalmente a última que está ainda me acompanhando, tem toda uma história incrível que se hoje tenho adquirido todo esse conhecimento – meus créditos vão todos para ela, por ter acreditado em mim e não ter desistido dos meus sonhos comigo quando já não havia mais esperanças.

Quando finalmente consegui ter esse despertar parece que tirei um peso das minhas costas, entrei num processo tão profundo de metamorfose me ajudou a largar maus hábitos que me prejudicava muito. Coisas que foram ensinadas e internalizadas no meu inconsciente ao longo da vida, e tem coisas que é precisa quebrar e se refazer.

Esse despertar é uma das coisas mais lindas que podemos conseguir ter, te ajuda a ser uma pessoa mais leve, mais tranquila e olhar com mais clareza para onde você está indo.

E claro não podemos deixar de fora a questão de outras aprendizagens de 2020. Óbvio que isso já é falado bem antes da pandemia, mas tem coisas que nesse momento “de pausa” ficaram mais evidentes como por exemplo a humanização que tivemos que adquirir em 2020 para se preservar, preservar a vida do outro. Cuidar de você nesse período de Covid é cuidar da vida do outro também, não se trata apenas de você.

A organização das ideias e dos sentimentos…

Toda essa pausa fez a maioria de nós também nos organizarmos, e fazermos coisas que não conseguíamos fazer.  Como por exemplo: atividades em casa mesmo, ler mais livros, assistir um filme, dormir no horário, acordar sem ficar desesperado, meditar (um novo hábito que estou querendo exercitar).

Obs: essa observação é muito importante não estou glamourizando esse período de pandemia. De fato é uma fase muito difícil, apenas estou relatando coisas que me ajudou nessa “pausa” pensar melhor sobre determinados pensamentos que não conseguia antes.

O meu hábito que eu criei 2020 foi correr, nunca na minha vida eu Mikaella cogitava em correr todos os dias 40 minutos em horário de almoço, correr 10 km num dia de domingo de frio. Depois que se passaram 6 meses não consigo passar 1 semana sem correr nem se for 3x na semana por 30 min meu cérebro sempre pedi para eu dar uma corridinha.

Foi um hábito que desenvolvi durante alguns meses, condicionando o cérebro. Em um artigo meu eu também conto como esse hábito de correr me trouxe muitos benefícios.

Me sinto grata por muitas coisas que tenho aprendido e tenha conquistado, mesmo que ao longo desse caminho perdi algumas coisas também, porém o meu sentimento de gratidão é muito maior que tudo isso. Gratidão por simplesmente poder respirar de uma maneira leve. Quando entramos em contato com nós mesmo, quando temos esse privilégio nos traz muitos resultados de melhorias.

E quando as coisas parecerem que não dão certo – deite na sua cama, durma e descansa – pense que amanhã você acordará outra pessoa com novos pensamentos, revigorado para continuar a caminhada. E acreditando que esse período de pandemia certamente uma hora vai passar, mas enquanto não passa se você tiver a oportunidade apenas evolua.

Leia mais artigos...

Uma musiquinha para semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on pinterest
Share on linkedin
Mikaella Narriman

Mikaella Narriman

Esse blog é escrito com muito amor pela Mikaella Narriman, uma garota amante de escrita, e fascinada por Histórias - Colecionadora de Histórias de pessoas que conhece aleatóriamente por ai.
Ama escrever cartas para pessoas se sentirem especiais, espalhar amor e a sua flor favorita é Rosa branca.
Tem um amor verdadeiro desde pequenininha por praias e coleciona conchas. Sonha ainda velejar por mares abertos e é com certeza uma é geminiana!