Me sentindo aleatória… Palavras fictícias para uma pessoa desconhecida

Nunca pensei que estaria aqui escrevendo meras palavras ao vento. Sei que estou escrevendo palavras ao vento para uma pessoa desconhecida. Gostaria de apenas começar de uma forma que sei lá essa pessoa desconhecida pudesse ler e entender que talvez essas palavras possam alcançar um coração também desconhecido.

– Queria ter um dia ter te falado tantas coisas, mas não consegui. Acho que naquela época não tinha estrutura emocional, maturidade suficiente de falar “ok, segue em frente, que eu seguirei também”.

Sabe quando você não sabe ao certo por qual motivo está aqui? E eu só queria me sentir viva, e presente no presente, porque na verdade nunca estava presente, nem com você. No final descobri que era uma falta de mim mesma que me faltava.

Eu buscava algo que nunca existiu, era só fruto da minha imaginação, era tudo ilusão. Até que teve um dia que eu acordei. Então se de repente você sentiu que eu desapareci, não foi porque tudo que eu sentia aqui dentro desapareceu também, foi porque eu cresci, acordei e despertei do coma mental que eu tinha.

Era bom viver naquele coma mental, porque lá eu não tinha tantas responsabilidades. Hoje já não é bem assim. É eu e eu contra o mundo!

Eu acordei, e assisti alguns vídeos meio aleatórios que eu fiz um dia… Acordei meio desanimada, e angustiada, mas assisti e aquilo me fez reviver um lindo arco-íris por apenas alguns segundos. “Alguns infinitos são maiores que outros”…

Senti uma bela sensação, não apenas a sensação de sentir estar ali naquele momento feliz e era momentâneo. Pois é, mal sabia eu que era momentâneo… E como dizia a Cássia Eller – que o para sempre, sempre acaba! Mas eu vivi aquela sensação de um estado profundo de metamorfose. De se olhar e não se reconhecer.

Minha fase foi tão profunda e está sendo – dentro de um casulo – ah então queria te falar que não, eu ainda não sou uma linda borboleta. Talvez na verdade me sinto até envergonha de saber que você está bem e eu ainda não trouxe aquele orgulho sabe?

E aquele seu sonho lá? Então, eu sei que se tornou realidade.

Mas eu decidi, decidi entrar em um processo profundo de solidão, e autoconhecimento. Mas tipo assim não é aquela solidão depressiva sabe? Existe uma solidão gostosa, aquela solidão que você não tem medo de conviver com você mesma entendi? Já não tenho mais medo de mim.

Antes não, eu precisava desesperadamente da sua presença, pois eu tinha medo de estar comigo mesma, de olhar para os meus vazios, minhas carências, cicatrizes era muito profundo para mim. Não sei se do outro lado aí você consegue me entender, me sentir também.

Mas hoje não mais, eu olho para mim e percebo e fico feliz porque eu já não tenho mais medo das minhas dores, e cada trauma que eu vivi, eu estou tratando eles, um a um.

Bom, eu sei que aquele dia lá… sabe aquele dia? O dia da nossa vitória!

Por que na verdade as suas vitórias são minhas também. Aquele dia lá, o grande dia. Eu estava aqui o tempo todo vibrando por você. Mesmo de longe, de verdade! Eu estava aqui o tempo pensando e imaginando ok vencemos? Um começo de uma grande história.

Demorei viu? Para tomar coragem e escrever tudo isso. Sem dores intensas. Ainda lateja bastante. Mas eu sempre pensava em escrever de uma forma agressiva, dolorosa com muitas chagas. Mas agora nesse mês do meu aniversário, consegui ter maturidade o suficiente de colocar para fora sem agressividade e sem dor.

Aqueles vídeos lá, mal sabia eu também… Mas iriam me servir para o futuro lá da frente. Não era aquele momento, era para Mikaella do futuro a Mikaella lá de 2021 e eu nem sabia disso. Viu o porquê eu gosto de gravar vídeos? Eu sei que algum momento eles vão curar alguma angustia momentânea.

Desculpa, mas naquela época eu não podia mais, me perdoe por isso! Eu ainda trato esse luto eterno para uma pessoa desconhecida, mas não mais como antes. Sendo o centro da priorização, sugava as minhas energias. Se passaram alguns aninhos, mas sinceramente para mim foram eternos anos.

Estou aqui cara, mega orgulhosa de você não sei o motivo ao certo, sem muitos detalhes. Quem sabe um dia um desconhecido leia e entenda o que eu quero dizer. Afinal para um entendedor meia palavra basta né?  Estou orgulhosa de saber que mesmo com todas as limitações e seus traumas que você passou, ah meu você venceu. Sério isso?

Mesmo que seja uma vitória material. Vitórias da Terra que nos preenche. Mas venceu! Não te conheço, na verdade nunca te conheci. Então ainda sim para mim você é uma pessoa desconhecida. Não me entenda mal, não leve isso de uma forma grosseira. Mas sabemos que foram tudo ao vento né…

Como diz a música da Maria Gadú…

Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Sou tão tranquilo e tão contente.

 

O que eu mais queria já está feito! Era alcançar a independência mental. Acho que mesmo sendo um desconhecido, se sabe ne? Para mim era difícil.

Como para todas as pessoas que eu oro, oro também por ti. Mesmo sendo uma pessoa desconhecida!

Ainda não tenho “aquele puta orgulho” que eu acho que nos seus pensamentos você sentia de mim, eu ainda não tenho por mim. Mas quem sabe um dia eu acordo e conseguirei sentir “aquele puta orgulho” mental que você sentia por mim.

O ser humano desconhecido, fique tranquilo que aqui dentro do meu coração ainda corre os sentimentos puros e genuínos que eu te prometi lá trás…

Você ainda não vai entender, não deixei pistas, migalhas de pão para entender a transmissão da mensagem. Mas mesmo assim, quem sabe essas palavras por via de códigos, podem se transformar em uma tradução. O coração é especialista em traduzir sentimentos não é mesmo!

Aonde quer que eu vá, do meu “campo vibracional” sairá paz e chegará até você ok? E sempre vai te envolver nos momentos frios que todos nós temos. O inverno chega para todo mundo, não só de verão viverá o homem. Afinal estamos no Sudeste e não no Nordeste rsrs.

E como eu ouvi… “tudo é uma fase, isso vai passar”… E engraçado que apenas assisti aqueles vídeos bobos e sem noções, e aff “eu fui despertada, e da minha essência saiu uma poesia suave” Se entendi né?!

Dedico esse texto aos meus 24 anos! Junho/2021 … Pois é não sou mais a menininha de 22 anos né (os dois patinhos)… Parece pouco mas, a vida passa e tudo muda…

Não sei como terminar esse texto, então não terminarei ele. Está em aberto…

 

Leia mais artigos...

Uma musiquinha para semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on pinterest
Share on linkedin
Mikaella Narriman

Mikaella Narriman

Esse blog é escrito com muito amor pela Mikaella Narriman, uma garota amante de escrita, e fascinada por Histórias - Colecionadora de Histórias de pessoas que conhece aleatóriamente por ai.
Ama escrever cartas para pessoas se sentirem especiais, espalhar amor e a sua flor favorita é Rosa branca.
Tem um amor verdadeiro desde pequenininha por praias e coleciona conchas. Sonha ainda velejar por mares abertos e é com certeza uma é geminiana!