5 insights com o livro – Mais esperto que o diabo

Já ouviu falar do Napoleon Hill? Se não ouviu falar desse escritor famoso da década de 1930 focado na realização pessoal, e no desenvolvimento de um mindset blindado para uma vida próspera. Poderia citar aqui inúmeras coisas sobre Napoleon Hill, mas hoje o foco do artigo será sobre o livro “mais esperto que o diabo”.

Nesse artigo quero apresentar alguns insights que o livro apresenta para o desenvolvimento pessoal e para virada de chave em coisas que precisamos certamente melhorar, até porque estamos em constante evolução.

Por que [SPOILER] deixa Grey's Anatomy? Real motivo é decepcionante

O livro mais esperto que o diabo conta um pouco sobre a vida de Hill o quanto ele fracassou diversas vezes tentando ter sucesso e sempre voltava para o final da fila. O que acarretou Hill enfrentar diversas dificuldades em sua vida principalmente financeiro.

Mesmo assim Hill era um observador e estudava muito, durante anos estudou sobre pessoas que na visão dele eram “derrotadas” e outras que foram “bem-sucedidas” ele estudava a respeito sobre a diferença entre esses dois grupos, para entender o que levava um ser humano ser bem-sucedido e outro chegar ao fracasso.

No decorrer do livro que sem dúvidas é uma das partes mais fortes que eu realmente achei fantástico, Napoleon Hill encontra-se realmente perdido, e sem esperança sobre a sua vida já havia fracassado diversas vezes, ele dizia que não se encontrava, que não se sentia completo naquilo que estava fazendo.

Bem no começo do livro em que Hill está com essa crise interior, ele relata sobre um “outro eu” que assume o controle de sua vida.

Tem alguns trechos do livro que ele se a profunda muito na palavra “alienação” e seu significado, é descrito minuciosamente como esse ser alienado acaba nos prejudicando em principais áreas de nossas vidas, e como sair desta alienação. Contudo, essa parte é mais longa, complexa e vou deixar para voce ler com calma no livro. Vale muitoooooo a pena!!!

Trechos do Livro mais esperto que o diabo

[…] Quando então o meu “outro eu” ordenou que eu limpasse completamente a minha mente de quaisquer pensamentos de limitação e que conduzisse a minha vida a partir aquele momento como se tivesse todo o dinheiro que eu quisesse nos meus bolsos.

A partir deste momento, você está completamente no comando “outro eu”. De agora em diante, você deve saber que duas entidades ocupam o seu corpo, na verdade duas entidades similares ocupam o corpo de cada ser vivente do Planeta Terra.

Uma dessas entidades é motivada e responde pelo impulso do medo. A outra é motivada e responde ao impulso da fé. Por mais de um ano você foi conduzido como um escravo pela entidade do medo

Há duas noites, na entidade fé assumiu o controle do seu corpo físico, e a partir daquele momento você foi motivado por essa entidade. Por mera conveniência, você pode chamar essa entidade fé de “outro eu” . Ela não conhece limitações, não tem medos e não reconhece a palavra “impossível” […]

Esse trecho do livro mostra o momento que o Hill tem esse encontro profundo com seu “outro eu” que seria ser movido pela fé, e não deixar os medos dominarem seus pensamentos e acreditar que tudo que ele precisar com a força do pensamento positivo e com a fé lhe será concebido.

No decorrer do livro em que Hill está em busca do seu propósito de vida – nessa trajetória de Hill no livro esse “outro eu” sinaliza para ele que precisava ir em um determinado lugar que seria a Filadélfia.

Lá ele iria encontrar o que estava buscando. Sendo assim ele poderia encontrar uma forma de fazer a publicação do seu manuscrito, que uma pessoa iria ajudá-lo nessa missão. Esse manuscrito tinha o propósito de ajudar muitas pessoas que era esse o intuito dele.

1 Insight para começar a refletir…

No livro como citado acima ele relata sobre um “outro eu” e esse “outro eu” é a FÉ, é a mentalidade conectada com a fé – é o oposto ao medo – você ser movido por algo superior. Ou seja, a fé ajuda a ter um norte por um determinado caminho “desconhecido”, para alcançar aquilo que deseja e está fora do seu alcance. É o equilíbrio para não deixar os maus sentimentos te dominarem.

Então a história vai a diante, claro que antes de tudo isso tem muita coisa a ser contada, mas para não ficar algo longo e com mais “spoilers” vamos direto ao ponto que é a tão famosa entrevista com o diabo.

A crise de 1929 fez ele perder seu dinheiro – e fez com que muitas pessoas também acabassem fracassando e quebrando financeiramente. No entanto nesse momento de crise, ele realmente queria ter a comprovação se o que ele dizia era algo realmente verdadeiro, foi aí que surgiu a entrevista.

Essa tão famosa entrevista é uma forma apenas metafórica de expressar seus estudos, e seus pensamentos. Relatando a diferença de uma pessoa que é bem-sucedida e a outra que sempre está derrotada com seus fracassos.

Esse livro em minha humilde opinião, nos ajuda a ter uma visão mais ampla quando se trata da vida nos momentos de dificuldades – ele ajuda a enxergar formas de crescimento pessoal mesmo em meio ao caos, aos problemas da vida. Mostra que são nesses momentos que tem as brechas para o crescimento pessoal.

Erros que foram cometidos, o que é preciso evoluir, ou deixar para trás coisas para conseguir subir mais um degrau da vida.

Nesses momentos de adversidades estamos com os sentimentos a flor da pele, e acabamos ficando mais sensíveis – é nessas horas que podemos ter uma certa reflexão sobre melhorias e caminhos para nossa vida.

No livro Napoleon Hill fala que devemos usar esses momentos como combustível para ir a adiante, e por mais que seja difícil tem que se esforçar o máximo que puder.

2 insight importante do livro

No livro ele relata sobre o “ritmo hipnótico”, esse termo ele fala sobre hábitos que temos e criamos em um ritmo hipnótico. E o que seria isso exatamente? Podemos ter hábitos que nos leva ao sucesso ou hábitos que nos leva a ruínas.

Criar um novo hábito não é fácil, sair da zona de conforto é muito difícil parece que aquele hábito que nos prejudica “já criou raízes profundas”, e para chegarmos ao determinado patamar é preciso criar hábitos saudáveis que nos ajuda a evoluir.

Um exemplo: “quero começar a ler mais? ” O ideal seria criar pequenos hábitos de leituras e ir condicionando seu cérebro para criar esse hábito saudável que vai te ajudar a ter mais conhecimento. É começar de pouquinho em pouquinho até aquilo se tornar automático.

E o ritmo hipnótico é isso, estar preso a algo que faz mal, que não faz sentido e que não te leva a lugar nenhum. E os hábitos são justamente isso, ele pode nos ajudar ou pode nos prejudicar.

3 insight do livro

No livro ele fala a respeito de propósito definido. Ele cita que é importante ter bem definido dentro de você o que realmente quer, e que independente do que aconteça você vai alcançar, pois podemos falhar muitas vezes porque não temos o controle total da vida, aliás não temos o controle de nada, tem coisas que está fora do nosso alcance.

Uma parte da resposta do “diabo” ele fala:

[…] as pessoas que são definidas, tanto em seus planos quanto em seus objetivos, aceitam as derrotas temporárias como sendo um sinal para que façam um esforço maior.

Ou seja, tem coisas que a princípio podem não dar certo, mas é preciso fazer esse autoanálise de que é preciso algumas mudanças, de mais esforço, um plano melhor elaborado para que venha dar certo. E até mesmo vencer o orgulho e perceber que talvez por aquele caminho não é mais interessante para você, e é hora de ir para outro caminho.

Ele fala que tem diferença entre propósito e um plano, você pode até mudar seus planos, mas o propósito continua firme. E cada um tem o seu propósito de vida, por isso é preciso ter claro isso dentro de você. E que se você ainda não tem um propósito tenha em mente o que quer de verdade dessa vida, afinal temos apenas essa para viver.

4 insight do livro

Ele fala muito sobre ter fé quando já não dá mais com as nossas forças, quando a nossa mão não alcança mais. Mas a fé que ele nos traz é o no sentido de ter muita coragem e força para seguir em busca do que você realmente almeja. Você já não é mais movido por dores e fracassos, mas sim por aquilo que você sonha realizar lá na frente.

Quem está disposto a pagar esse preço que é bem doloroso, mas é um processo lindo quando você se abre para mudanças, e passa acreditar de todo coração e com a fé.

Não permitir que o medo, os problemas te deixem estagnado, parado e sim seguir em frente mesmo que seja cansativo. Simplesmente não parar e enxergar além – que você pode conceber aquilo que a sua mente deseja.

5 insight do livro

Aprender com adversidade da vida.

Alguns momentos da vida temos muitas adversidades e isso contribui para a perca de esperança e fé, a nossa esperança sobre a nossa vida. Tem fases ruins que parecem que nunca vão se findar. Porém algumas vezes é a vida nos dando oportunidades para evoluirmos, e aprendermos com os nossos erros.

[…] o fracasso normalmente serve como uma benção disfarçada, porque ele quebra o padrão do ritmo hipnótico e faz com que a mente se liberte para o um novo começo…

Tem algumas frases do livro que nos faz refletir e nos ajuda a parar para pensar o que realmente a vida quer de mim? O que preciso tirar dessa fase da minha vida para aprender de verdade? E ter um futuro próspero?

E a prosperidade não tem a ver com apenas a questão financeira, a prosperidade está muito além disso. Está também voltado para uma prosperidade espiritual, mental, ter uma vida sadia uma vida abundante interiormente.

Como falado na frase acima em uma da resposta do diabo, ele fala que o fracasso é uma benção disfarçada porque ele pode fazer duas coisas: te paralisar ou te despertar. E os recomeços são isso, deixar tudo para trás para reescrever uma nova história.

O livro mostra muitas outras coisas, lições incríveis em cada página e capítulo que você lê. A sua mente explode de tantas informações valiosas e aprendizagens, claro que, é preciso estar aberto para essa evolução e entender que nada acontece rápido, é preciso exercitar a paciência para conseguir o que realmente quer.

Recomendo muito a leitura do livro, tudo que escrevi é apenas 1% do que o Napoleon Hill quer nos ensinar a ser pessoas de mente próspera e uma vida abundante.

Leia mais artigos...

Uma musiquinha para semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on pinterest
Share on linkedin
Mikaella Narriman

Mikaella Narriman

Esse blog é escrito com muito amor pela Mikaella Narriman, uma garota amante de escrita, e fascinada por Histórias - Colecionadora de Histórias de pessoas que conhece aleatóriamente por ai.
Ama escrever cartas para pessoas se sentirem especiais, espalhar amor e a sua flor favorita é Rosa branca.
Tem um amor verdadeiro desde pequenininha por praias e coleciona conchas. Sonha ainda velejar por mares abertos e é com certeza uma é geminiana!