Foco naquilo que almejamos de verdade – 4 lições do filme o diabo veste prada

O Diabo veste Prada é um clássico das antigas, quem ainda não assistiu recomendo muito assistir.

Ele foi baseado no livro da escritora americana Lauren Weisberger, e em 2006 estreia o filme diabo veste padra com as protagonistas Meryl Streep (personagem Miranda Priestly) e a Anne Hathaway (outra personagem principal a Andrea que todos chama de Andy).

A Andrea tinha um grande sonho de escrever em alguma editora e contar histórias em jornal impresso, sendo assim depois de formada ela se mudou para Nova York para tentar uma vaga em alguma editora, mas ela não tinha experiência nenhuma e estava bem difícil achar um emprego na área dela.

Então, ela consegue uma entrevista de emprego em uma das maiores empresas de moda de Nova York, chamada Runway. A ideia de Andrea era entrar na Runway, pois como era uma empresa grande com os trabalhos da famosa Miranda Priestly – ela sabia que poderia abrir portas que tanto queria –  ou seja, entrar na área dela de Jornalismo.

Já a Miranda é uma editora-chefe da tão famosa empresa de revista de moda Runway. Ela é uma mulher muito respeitada e admirada na área da moda. Todos os subordinados têm medo da sua presença por ela ser bem intimidadora. Ninguém questiona nada do que ela faz, e todos devem agir dos seus modos.

E aí que começa a entrar na história e suas lições inspiradas. Confesso que assisti esse filme umas 5x e cada vez que assistia aprendia muito com a mensagem do filme.

A personagem Andrea entrou na empresa totalmente “crua” não gostava nadinha de moda, ou seja, não entendia nada desse segmento. E como prova disso, na primeira vez que foi na entrevista a assistente de Miranda até debochou dela, por suas roupas serem bem “simples” e não tinha nada a ver com que a Runway preza.

E seu maior desafio agora é encarar a Miranda, amadurecer e ser forte na selva que é o mercado de trabalho.

  • Marketing de aparência!

Ensinamentos do filme diabo veste prada

Uma coisa que o filme nos passa, é uma lição referente ao marketing pessoal. Não tem jeito dependendo do ambiente que você esteja, a primeira impressão é a que fica. É importante sempre ficar atento ao que quer transparecer.

No filme a Andy entra em uma empresa de nome em Nova York, uma revista de moda. Ela simplesmente nem liga para sua aparência, ela só queria entrar lá e ter experiência para aí então entrar em sua área.

Só que ela se esqueceu que para isso acontecer tinha um processo até lá. Andy não gostava de se arrumar, não gostava de arrumar seus cabelos e muito menos maquiagem. E uma das coisas que ela teve que mudar foi a sua aparência.

Transparência muita insegurança, e não estava de acordo com que a Runway passava, que a moda é importante. Andy teve que mudar a sua aparência externa para passar mais segurança e respeito das pessoas ao seu redor. Nigel (interpretado por Stanley Tucci) é um outro personagem na trama do filme. Andy então começa a desabafar com Nigel que estava chateada pela falta de reconhecimento e queria desistir.

E Nigel começa a dar vários conselhos a Andy, e um deles é que seria preciso primeiramente para obter o mínimo de respeito de Miranda, era cuidar da sua aparência pessoal.

O filme nos mostra que dependendo do que fazemos, ou até mesmo ambiente que iremos comparecer, claro depende muito do tipo de serviço. Mas que sim em alguns momentos a aparecia por mais que digam que não tem importância, acaba influenciando na decisão de muitas pessoas.

É uma das coisas que uma série bem interessante sobre Marketing de aparência, o Suits fala que, a aparência pode demonstrar (mesmo que seja de uma forma externa apenas) mais segurança, se vestir bem pode mostrar mais “empoderamento”. E como falei acima depende muito da ocasião, e do ambiente.

Mas o filme passa a mensagem que a sua aparência, a sua imagem pessoal sempre será a primeira coisa que as pessoas irão olhar.

  • Saiba a sua verdadeira identidade e o que realmente quer para você!

Partes do filme mostra algumas reflexões sobre a nossa identidade e o que queremos de verdade. Andy teve que realmente mudar muitas coisas em si mesma para conseguir respeito entre seus colegas, teve que mudar sua forma de olhar a vida, e as coisas relacionado trabalho.

Em um artigo meu, eu conto um pouco como foi meu processo de mudanças, e se achar no meio de uma multidão. Leia mais…

Quando ela foi para o ambiente de trabalho, ela viu que as coisas não eram como ela imaginava que a realidade é bem diferente. Mas aí que está o “pulo do gato” nas cenas finais do filme a personagem começa a perceber que estava perdendo a sua identidade verdadeira.

Começando a ter atitudes que nunca teve, perdendo seus amigos, seu namorado, por priorizar mais o seu serviço do que as pessoas que ela realmente amava. Ela acabou se esquecendo de quem realmente era de verdade, e acabou se sobrecarregando e deixando de lado coisas que era importante para ela.

Na cena final no carro com a Miranda, elas tiveram uma conversa – e a própria Miranda fala para Andy que ela já estava se tornando uma pessoa “egocêntrica”. Andy estava começando a pensar apenas nos seus interesses.

Quando Andy sai do carro ela realmente cai em si que aquilo não era mais a vida que queria levar, que a sua missão foi concluída na Runway e que tudo que ela precisava aprender ela já tinha conseguido.

Não estava disposta mais a sacrificar a sua vida pessoal, e nem mesmo o seu verdadeiro sonho. O seu momento de voar finalmente tinha chegado. Quanto maior o patamar que você chegar na sua carreira, principalmente da fama maiores são as exigências.

O mais interessante do filme é ele nos mostrar esse ponto, de que alguns momentos acabamos nos perdemos em tantas informações, sentimentos e esquecemos da nossa verdadeira identidade e essência.

Esse ponto específico me lembra eu bem no começo da minha jornada de trabalho, tive que mudar muitas coisas em mim e principalmente amadurecer. Mas chegou um momento que estava começando a perder a minha identidade, e sabia que se permanecesse em tal ambiente a minha essência iria começar a se perder.

  • Apenas faça – tenta o máximo que puder diminuir as suas expectativas sobre as pessoas!

Na cena em que Miranda pedi para Andy desesperadamente arranjar de qualquer forma um voo para ela ir ao recital de suas filhas,  Andy tenta o possível – só que estava uma tempestade muito agressiva e realmente não estava tendo nenhum voo, só depois que passasse mesmo.

Andy acaba até deixando de jantar com seu pai para tentar de qualquer maneira um voo para Miranda. Mas infelizmente não consegue. Bom no outro dia ela vai ver a Miranda e simplesmente ela trata Andy muito mal.

Ficando triste com o acontecimento, Andy vai falar com seu amigo de trabalho o Naigel, falando que quer desistir de tudo e que realmente não aguenta mais aquilo.

Naigel começa a dar um choque de realidade em Andy ajudando a garota realmente a amadurecer. Parar de querer que em um ambiente de trabalho como a Runway e até mesmo a própria Miranda passe “mel em sua chupeta”, ou seja que a reconheça por seu trabalho.

Quando Naigel começa a falar para Andy deixar esse lado dela mais emocional e ser uma profissional racional, ela começa a perceber que teria que mudar, senão realmente não iria aguentar a pressão.

Esse trecho do filme nos ensina que quanto menos esperamos algo em troca, diminuindo as expectativas podemos sofrer menos. Claro que, somos seres humanos temos certamente muitas expectativas sobre as coisas e pessoas, temos os nossos sentimentos né? Mas o ponto aqui é, não querer controlar de toda forma as expectativas que geramos, mas sim ficar apenas consciente e de olho, sempre observando porque estamos fazendo tal coisa.

E aí entra os questionamentos que podemos fazer: É para o nosso ego? Ou apenas para ajudar alguém ou nos ajudar? Muitas vezes as expectativas estão muito ligadas ao nosso ego, em massageá-lo. Simplesmente solte, e seja racional em alguns momentos. Quanto maior a expectativa gerada em qualquer pessoa, principalmente em ambiente de trabalho maior a frustação e queda.

É precisa manter-se firme, confiante em si mesmo e sempre entregar o melhor para fazer bem para você.

  • Humildade em reconhecer – Volte 3 passos para trás e só depois alguns maiores a frente.

Quando Andy decidi e entende que precisaria dar alguns passinhos para trás, para só depois dar alguns passos maiores para frente, ela nem sabe o tanto de coisa que iria acontecer em sua vida nesse meio tempo. Ela decidiu entrar na Runway justamente porque sabia que precisaria ter essa humildade, e que ela entrando lá futuramente conseguiria abrir a porta que ela sempre sonhou.

 Alguns momentos em nossas vidas queremos abrir uma porta, mas talvez nem estejamos prontos o bastante para aquilo, talvez apenas não seja o momento, ou precisamos mudar a rota para depois voltar naquela mesma porta.

É que nem aquele joguinho antigamente de tabuleiro que você jogava o dado e falava “volte 3 casinhas para trás” e depois novamente quando chegava à sua vez de novo, você ia lá jogava o dado e saia “avance 6 casinhas para frente”.

E é assim na vida algumas vezes, precisamos reconhecer em dar alguns passos para trás, amadurecer, aprender algumas coisas, até mesmo aprender a ter calma. Para só assim conseguirmos abrir a porta que tantos queremos.

O filme é muito legal, bem engraçado, divertido e leve. Recomendável para muitas pessoas que querem empreender, ter algumas reflexões sobre muitas coisas. Principalmente o amadurecimento, humildade, a paciência, e claro o que não pode nos faltar A PERSITÊNCIA. Então se tem algum sonho apenas persista, nunca desista!

 

Leia mais artigos...

Uma musiquinha para semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on pinterest
Share on linkedin
Mikaella Narriman

Mikaella Narriman

Esse blog é escrito com muito amor pela Mikaella Narriman, uma garota amante de escrita, e fascinada por Histórias - Colecionadora de Histórias de pessoas que conhece aleatóriamente por ai.
Ama escrever cartas para pessoas se sentirem especiais, espalhar amor e a sua flor favorita é Rosa branca.
Tem um amor verdadeiro desde pequenininha por praias e coleciona conchas. Sonha ainda velejar por mares abertos e é com certeza uma é geminiana!