paz-interior

Como a Psicoterapia me tornou alguém melhor

Sempre fui apaixonada por Psicologia, desde muito cedo assim que eu tive a oportunidade de fazer terapia eu simplesmente fui, tinha acabado de fazer 18 anos alguns comportamentos que eu tinha me incomodava muito, até o momento que eu fui procurar ajuda.

Infelizmente ainda existe um grande tabu quando se trata da Psicoterapia, muito preconceito de que quem faz Psicoterapia é “doido” ou é “depressivo”, você percebe nitidamente na face das pessoas o preconceito (não todas é claro ufa ainda bem) e sempre ouço perguntas tipo: – Fazer terapia adianta mesmo? Será mesmo que ajuda?

No entanto, nesse artigo não estou aqui para convencer as pessoas a fazerem Psicoterapia, mas sou suspeita a falar que me ajudou a desenvolver. E cá estou eu trazendo resultados das minhas melhorias desses 5 anos de terapia.

Dedico de todo meu coração esse texto escrito com muito amor mesmo a todas as minhas Terapeutas que passaram em minha vida, inclusivo lembro o nome de cada uma. Mas em especial a Terapeuta que causou o maior impacto na minha vida que é a Márcia!

A história de amor com a Psicoterapia – O começo….

Quero apenas me expressar assim de uma forma leve o que vier do coração para fora, de como me sinto bem completando 5 anos de terapia, e quando eu finalmente consegui me encontrar em meio a tantos sentimentos.

Em um artigo anterior falando a respeito de 2020 que foi um ano muito turbulento por conta da pandemia (que inclusive ainda estamos em uma pandemia, espero sinceramente que daqui 2 anos quando eu reler esse texto, tudo já tenha melhorado).

Mas voltando ao raciocínio, por mais estranho que pareça foi o ano mais sereno que eu tive sempre meus anos foram bagunçados, sem sentido e sempre me faltava algo. Foi um ano que eu consegui respirar um pouco.

E foi tão profundo esse período de Psicoterapia que eu até consegui tirar um desejo que eu tinha do papel, que era ter meu blog e escrever. Ou seja, realmente as terapias tiveram sucesso para mim. Criei hábitos que nem cogitava em ter, tipo correr.

Todos os anos eu me dedicava bastante as terapias, mas chegou um momento da minha vida que eu decidi que queria aquela experiência de uma forma diferente. Então foi assim que fiquei exatamente 1 ano da minha vida me dedicando profundamente a terapia com a nova terapeuta, queria me conhecer de verdade.

Não que as outras terapeutas não fizeram um bom trabalho pelo ao contrário evolui bastante com elas também, mas aquela fase eu estava mais preocupada em ser efetivada na empresa, porque eu era uma jovem aprendiz, sei lá eram fases diferentes.

Dessa vez na terapia o que me tornou alguém diferente foi entrar com propósito. Eu estava tão exausta de ser a mesma pessoa, cometer os mesmos erros, toda hora ficar frustrada, magoada, criar muitas expectativas nas pessoas. O que me moveu a querer se entregar ao autoconhecimento foi que – eu tive uma decepção tão grande que mexeu em todas áreas da minha vida

Sinceramente falando? Quebrei em todas as áreas da minha vida, quando eu me deparei com aquela situação eu pensei que a única forma de não cometer mais os mesmos erros era se autoconhecer, e me tornar uma pessoa mais consciente.

Claro que né? Não foi fácil assim entrei toda quebrada literalmente falando, entrei na sala da Terapeuta ESTRAÇALHADA, mas eu tinha um propósito mesmo sabendo que eu iria ter que dar passos de formiguinhas até conseguir ajustar toda a minha vida.

O ponto de partida – A reconstrução necessária!

Acabamos muitas vezes gerando uma expectativa gigante com o Terapeuta. Existe uma ilusão que assim que entramos em uma sala, sentaremos na cadeira e simplesmente o terapeuta vai curar todas as nossas dores, e tirar todos os nossos problemas. Mas esquecemos que é preciso querer melhorar, e que tem um longo percurso a ser seguido dali em diante.

 Foram anos de muitas experiências e todas as terapeutas que passaram em minha vida foram incríveis, todas elas me marcaram. Tive diversas Psicoterapeutas, por conta de horários que não batiam, o local, também acabei mudando de emprego e assim fui conhecendo novas Psicólogas. E cada uma me ajudando a ser alguém melhor.

Mesmo fazendo anos de Psicoterapia, e cada terapeuta com a sua paciência comigo eu ainda assim me sentia perdida, bagunçada dentro de mim, era um verdadeiro caos. Sempre tentava, tentava, e voltava para o início da fila, tentava, tentava e voltava para o início da fila e fiquei nesse ciclo durante tipo uns 4 anos.

E chegou uma fase da minha vida, que eu literalmente vivi o que Carl Jung citou em uma frase dele:

Até que surgiu a luz do final do túnel que me iluminou para seguir a diante. Quando finalmente consegui entrar em uma nova empresa, comecei a me reerguer do zero, era como se eu tivesse que recomeçar a minha vida novamente. A primeira coisa que eu fiz foi fazer Psicoterapia, eu sabia que sem organização mental nada iria adiantar – eu teria que primeiro ajustar dentro – e por fora aos poucos.

Mas como citei logo acima, dessa vez o processo foi diferente e eu entrei determinada que eu queria me reconstruir e largar tudo que me impedia de ser alguém melhor e mais consciente. Eu entrei faminta em mudanças profundas.

Quando fui procurar ajuda de uma terapeuta, eu sabia que sozinha eu não iria muito longe, eu iria ficar estagnada e não ia conseguir progredir e ter uma nova vida. Então fui de peito aberto, e sabia que pela bagunça enorme que eu causei teria que ter paciência comigo mesma e se perdoar.

Entrei na sessão sabendo que ali era a minha “internação na UTI para pessoas que precisavam de tratamento intensivo”. E não tenho nem um pingo de vergonha de falar sobre isso, pelo ao contrário me sinto orgulhosa pois eu consegui sair da terapia intensiva e me curei.

E enfim, naquele momento senti que ela segurou na minha mão e como se ela tivesse falado – vamos juntas sair dessa fase, não vou te largar até você conseguir se curar. E eu segurei firme na mão dela, e decidi querer mudar e entrar em um processo tão profundo de metamorfose que nem eu mesma iria me reconhecer.

Toda semana eu ia lá, e sentia que cada vez que passava pela sessão era como se aquele momento fosse um remédio passando em cada feridinha na minha mente e no meu coração.

Demorou tanto para cada ferida em mim se cicatrizar tipo muito mesmo, pois todas as vezes que eu tentava voar, eu caia e ela tinha a linda paciência de novamente me segurar para tentarmos até eu conseguir voar sozinha e dar andamento em minha vida pessoal e profissional.

E assim foi fiquei um bom tempo nessa “UTI mental”, me curando, e a terapeuta do meu lado. Foi um trabalho em conjunto. É mais sobre você, com você mesmo e entendendo TODAS AS ÁREAS DA MINHA VIDA, até achar os gatilhos que me faziam agir de uma maneira que não era bom para mim só me prejudicava.

A etapa de olhar para si mesmo o despertar!

E quando digo que esse processo terapêutico para mim foi diferente, porque quando você se abre de coração, uma das coisas que nas terapias é desenvolvido é consegui chegar em um nível de olhar para si mesma, e não apenas terceirizar.

Quando eu consegui sair de algumas prisões internas, que eu me senti finalmente livre e comecei a estabelecer novas metas para mim, poder sonhar novas coisas, senti um novo ar. Era isso mesmo que eu queria, olhar para mim. E eu sentia como se eu tivesse acordado de um “coma mental” que eu estava.

Foi o despertar de dentro para fora, e consegui visualizar uma vida melhor que pouco a pouco fui me reconstruindo, não sabia que era possível. E junto com a terapeuta fomos tratando todas as partes da minha vida, cuidando de partes sentimentais mais sensíveis que precisava de uma observação mais profunda.

Depois dessa pequena parte “introdutória”, apenas a pontinha do iceberg eu fico muito feliz de estar podendo escrever tudo isso, quando ia para sessões passou tão rápido mas aquele momento parecia eterno, imaginava sempre eu escrevendo sobre esse processo de cura interior.

Imaginei que um dia eu poderia escrever tudo isso de peito aberto, de uma maneira serena, calma e sentindo a leveza da vida. Sem aquela agitação que eu sentia dentro de mim, era um mar muito turbulento que eu sempre me afogava e ficava numa oscilação constante de emoções.

Visualizei que um dia poderia desabafar tudo isso através das palavras porque sou melhor com palavras do que falando, que estaria me sentindo viva novamente e com sentimento bons fluindo dentro de mim.

Gostaria apenas de falar que a terapia para mim foi a virada de chave da minha vida, senti que a terapeuta me ajudou a encontrar a chave que eu precisava abrir para conseguir caminhar novamente. Certamente se não fosse por ela, nem 1% de conhecimento de mim mesma eu teria hoje.

Tudo que eu sou, tudo que eu consegui ser, a minha maior conquista de 2020/2021 (o processo continua não parou) – foi ter me levantado e ter me conhecido, essa foi a minha maior conquista

E ter tido a oportunidade e a chance de poder conhecer a terapeuta que mais me ajudou e acreditou em mim, e sempre esteve lá do meu lado quando nem eu mesma acreditava que poderia conseguir sair daquele caos.

Toda vez que eu ia lá era um pedaço de mim sendo reconstruído e eu deixava para trás toda angústia até que consegui respirar novamente.
Gostaria muito de dedicar tudo isso, todo esse amor que eu tenho a Psicoterapia a todas as terapeutas incríveis que passaram na minha vida, todas elas tiveram a participação da minha construção e evolução como ser humano, sem elas não seria a Mikaella que eu sou hoje.

A terapia é um lindo processo, no qual todos deveriam ter a oportunidade de fazer. Como o Tiago Brunet cita – é como entrar em um casulo ficar lá por um tempo, mesmo que ele seja apertado, solitário e escuro. Mas quando você passar por tudo isso se tornará uma linda borboleta.

A terapia te faz ter calma, olhar para vida com um novo olhar, faz olhar para o caos e entender que aquilo vai passar, que nada é para sempre, faz você ser uma pessoa compreensiva, empática, humanizada, ser uma pessoa generosa.

Obrigada a todas as terapeutas, o trabalho é lindo realmente vale a pena. Obrigada em especial a minha terapeuta, que fez toda a diferença na minha vida, me fez realizar um grande desejo do meu coração que era conseguir ter um encontro comigo mesma.

Certamente por onde eu passar, levarei comigo todos os ensinamentos que eu tive e sempre em busca de evoluir cada vez mais, e a terapia te proporciona isso essa evolução sem fim é algo lindo.

E finalmente eu consegui sai da UTI e comecei a andar, não mais com um cilindro de oxigênio nas costas, mas com meu próprio ar, com as minhas próprias pernas e não mais com as pernas de ninguém mas sim com a minha.

E melhor ainda sem perder a essência, pois todos nós temos uma essência dentro de si e não podemos perder isso, não podemos deixar que ninguém roube de nós o que temos de melhor a oferecer. E acima de tudo também um novo florescer se fez dentro de mim, hoje finalmente me sinto viva novamente! E para falar que sim as terapias trazem resultados maravilhosos para a vida.

Obs: Obrigada minha terapeuta por ter me aguentado rsrs durante muitos meses falando do mesmo assunto, até eu conseguir me olhar finalmente, haja paciência! S2.

Leia mais artigos...

Uma musiquinha para semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on pinterest
Share on linkedin
Mikaella Narriman

Mikaella Narriman

Esse blog é escrito com muito amor pela Mikaella Narriman, uma garota amante de escrita, e fascinada por Histórias - Colecionadora de Histórias de pessoas que conhece aleatóriamente por ai.
Ama escrever cartas para pessoas se sentirem especiais, espalhar amor e a sua flor favorita é Rosa branca.
Tem um amor verdadeiro desde pequenininha por praias e coleciona conchas. Sonha ainda velejar por mares abertos e é com certeza uma é geminiana!